O Cuidado Intensivo da sua Comunicação

17.2.07 2 Comentários A+ a-

Fazer publicidade a artigos de higiene (seja champôs, desodorizantes, papel e pensos higiénicos) sempre foi complicado, difícil e até um pouco sensível.
É também difícil abordar a comunicação para desodorizantes sem cair no habitual – não cheira, não mancha, é eficaz 24h, é suave e protege a pele, mas isso são características que todos os desodorizantes já têm (ou deveriam ter…)
Destaco uma nova abordagem da Vasenol na sua última campanha – a necessidade de proteger as coisas bonitas da vida! E porque não começar pela protecção do nosso próprio corpo, em particular da nossa pele?!

Aqui fica o filme:



Destaco também a boa montagem e a boa criatividade!

2 comentários

Deixe os seus comentários
Edson Marques
AUTHOR
18 fevereiro, 2007 18:57 apagar

Carolina e Bruno,



Sou editor do blog literário MUDE e autor do texto utilizado pelo Leo Burnett no comercial da Fiat, sem minha autorização. Uma grave violação à Lei dos Direitos Autorais do Brasil. O vídeo do comercial pode ser visto no blog acima, ou em http://desafiat.weblogger.com.br.

Meu poema (cuja autoria a Leo Burnett ainda se recusa a reconhecer) tem o devido registro na Biblioteca Nacional e já foi publicado em livro, pela Pandabooks, com prefácio de Antonio Abujamra, além de ter sido interpretado por Simone Spoladore no CD Filtro Solar, do Pedro Bial.

Já houve sentença judicial favorável a mim, contra a Leo Burnett.

Vocês poderiam comentar algo a respeito?


Atenciosamente,

Responder
avatar
CarolinaL
AUTHOR
20 fevereiro, 2007 20:18 apagar

Caro Edson,
Apesar de não ser um comment ao post feito, faço questão em comentar a sua situação, pois considero uma vergonha um suposto profissional (que se reconhece como criativo) fazer uso de outros textos/ideias/imagens sem o consentimento prévio dos seus autores.
É um verdadeiro abuso aos direitos de autor e mais do que isso, uma verdadeira falta de profissionalismo por parte das agências de publicidade (porque infelizmente, o seu caso não é único).
Não desista dos processos judiciais, Edson! Uma agência como a Leo Burnett tem obrigação de reconhecer o seu fracasso enquanto agência criativa, pois quem se limita a copiar textos de outra autoria de nada tem de criatividade (e muito pouco de dignidade também).

Os meus cumprimentos,
Carolina L

Responder
avatar